“Um mais um é sempre mais que dois”

 

Solidariedade não é caridade pura e simples, não se esgota na ajuda ao próximo. E também é necessário mais que empatia para se alcançar essa solidariedade da qual estamos falando.

A solidariedade precisa ser transformadora, tem que promover autonomia, caso contrário, ela só aumenta a dependência e ameniza as causas do sofrimento das pessoas.

Precisa ter acima de tudo um caráter de classe, entender que ao nos reconhecermos como iguais, como seres humanos, não podemos mais permitir qualquer forma de exploração ou dominação.

Quem tem fome tem pressa, e em meio a todas essas crises, a pandemia do Covid-19 veio somente acentuar problemas que nossa sociedade tem há muito tempo.

É hora de nos transformarmos, individual e coletivamente. Podemos deixar aflorar o melhor de nós e reconhecer que como estava não dava para ficar. Podemos sair dessa crise maior do antes.

Cada Ponto de Solidariedade desta Campanha precisa também ser um foco de organização, que permita ajudar os mais pobres e vulneráveis, mas também fortalecer a capacidade do povo brasileiro de lutar por dignidade.

A crise do coronavírus demonstrou a necessidade de um Estado forte e eficiente, distribuidor de renda e provedor de serviços públicos, e que permita ao povo acessar os direitos descritos na Constituição de 1988.

É por isso que a nossa solidariedade está entrelaçada com a defesa do SUS (Sistema Único de Saúde), com os programas de moradia e renda básica, a regulamentação do trabalho e a defesa daqueles que mais precisam.

Os atos solidários que defendemos estão articulados com a proteção dos trabalhadores do campo, que produzem o que nos alimenta, com o desenvolvimento sustentável e a utilização cautelosa do que a natureza nos provê.

É por isso que defendemos a cidade como um espaço democrático, com desenvolvimento urbano capaz de incluir a todos. Nossa solidariedade é sintonizada com a defesa da diversidade.

Do mesmo modo que sabemos bem que não há solidariedade sem o fim do racismo, do patriarcado e da exploração de classe.

Por isso, a solidariedade precisa ser contagiante! Agora não é hora de polarizar e dividir, vamos precisar de todo mundo, e queremos que a humanidade saia de tudo isso maior e melhor.

Participe, seja solidário, se transforme e ajude a transformar nosso país.