O dia das crianças, comemorado em 12 de outubro, foi marcado por diversas ações dos movimentos sociais nas periferias do Brasil. As atividade, realizadas pelo Movimento dos Trabalhadores por Direitos (MTD) e a Rede Periferia Viva, foram marcadas por muita alegria, com jogos, contação de histórias e brincadeiras. Diante da crise social que atinge muitas famílias, as crianças tem sofrido impactos em várias dimensões. Apesar da crise que afeta suas famílias, em meio a olhos brilhantes e curiosos, elas foram convidadas a celebrar o seu direito à educação, à cultura, ao lazer e à alimentação saudável e de qualidade.

No Distrito Federal, foi realizada uma atividade cultural para contar histórias às crianças do Sol Nascente, periferia do DF.  O tradicional grupo de cultura popular Seu Estrelo, tocou e cantou músicas que celebram a beleza e mistérios do cerrado, narrando a história de Luz Belo e sua peleja para conseguir entrar no sonho das pessoas sem ser notado.

 

Em Montes Claros (MG), foram entregues doces, roupas solidárias, picolés e presentes doados com amor no Centro de Convívio Luizinha Gonçalves.  Diversas parcerias possibilitaram a ação para as crianças, entre elas, as mulheres da Costura Solidária, que tecem roupas para as crianças carentes.  Também, o Sindieletro-MG, o Sind-UTE/MG, o Sindmetal e o Terreiro de Umbanda Tupinambá, além de voluntários que trabalharam na confecção de brinquedos para as crianças.
>

Na capital de Minas, Belo Horizonte, também teve ação para a criançada. Na ocupação Pátria Livre, muitas brincadeiras, solidariedade e denúncias em defesa dos pequenos, como a segurança alimentar das crianças, ameaçada pela crise econômica e pela redução do auxílio emergencial para R$ 300, determinada pelo governo Bolsonaro, que colocam milhares de brasileiros na miséria.

>

 

🏳

Em Fortaleza (CE), o dia das crianças teve corte de cabelos grátis, pintura facial, entrega de presentes, pula-pula e muitas brincadeiras, na comunidade do Sabão, bairro Pirambu.

   

 

Fonte: página do MTD no Facebook