O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra vem através desta nota prestar solidariedade ao Padre Júlio Lancelotti, recentemente vitima de novos ataques e ameaças.

Ordenado Padre em 1985, Júlio Lancelotti foi fundador da Pastoral da Criança da Arquidiocese de São Paulo e, como vigário episcopal do Povo da Rua, tem atuado incansavelmente não só na assistência a essa população como também na denúncia das contínuas violações de direitos a que são submetidas principalmente pelo Estado.

Notório por sua atuação na capital, Padre Júlio também sempre se coloca solidário aos Sem Terra, Sem Teto, Desempregados, Crianças, Adolescentes, Mulheres e sujeitos LGBT, enfim a todos os oprimidos pela sociedade capitalista. Por causa dessa atuação, é alvo constante de ameaças e ataques.

O mais recente foi feito por um parlamentar estadual, que em uma patética tentativa de arregimentar o bolsonarismo para sua candidatura a prefeito, coloca a vida do padre em perigo ao incitar a violência de seus apoiadores contra ele. Demonstrando que enquanto candidato a prefeito de São Paulo, pouco se importa com a vida desses paulistanos e paulistanas atendidos e defendidos por Júlio Lancelotti.

Tantas vezes recebedor da solidariedade do Padre Júlio, o MST se coloca agora, junto de outras organizações, em solidariedade a ele. Não aceitaremos qualquer ato que coloque sua vida em risco. Exigimos que o dito parlamentar tenha sua conduta investigada pelos seus pares na ALESP e pelo Ministério Publico, e que as autoridades garantam a segurança do padre Júlio e de todos e todas lutadores e lutadores do povo, com o povo.

Direção Estadual do MST SP
São Paulo, 16 de setembro de 2020.