O Comitê Lula Livre do Estado de São Paulo organizou diversos comitês em uma campanha de Doação de Sangue, chamada #ComiteDeSolidariedade com o objetivo de abastecer os bancos de sangue de diversas cidades e chamar a atenção para a causa.

“Estimulamos a militância a doar sangue e registrar o momento. Recebemos muitas fotos de diversas regiões do estado. Nada melhor do que aquecer os tambores para o 4º Mutirão Lula Livre fazendo uma ação tão importante para a vida das pessoas que necessitam de transfusão”, explica Chico Macena, coordenador do Comitê Lula Livre do Estado de São Paulo.

A liberdade de Lula tem a ver com luta pela democracia no país

A quarta edição da versão digital do Mutirão aconteceu neste sábado, 29 de julho, às 15 horas, com transmissão ao vivo da página do Comitê Lula Livre do Estado de São Paulo, bem como nas redes do Comitê Nacional Lula Livre e páginas parceiras. O objetivo do mutirão é ampliar o diálogo sobre a importância da luta pela liberdade plena de Lula.

A presidenta do PT, Gleisi Hoffmann aponta os sucessos da luta nacional feita em nome da liberdade plena de Lula até aqui, cujo ápice foi o fim da prisão do ex-presidente. No entanto, ressalta que é preciso anula a decisão injusta e arbitrária do ex-juiz Sergio Moro e que Lula tenha reestabelecido seus direitos plenos.

“A liberdade de Lula tem a ver com a luta pela democracia no país. Não teremos um país efetivamente democrático, não venceremos a barbárie e os retrocessos se o maior líder político e popular não tiver seus direitos plenamente reestabelecidos”, afirma a presidenta petista.

Ela ressaltou que acredita que o movimento está no caminho certo para provar a imoralidade de Moro, principalmente com a anulação das condenações de José Genoino, Delúbio Soares e Paulo Ferreira, bem como a invalidação da delação mentirosa de Antonio Palocci durante o processo eleitoral 2018.

O primeiro bloco abordou o papel da mídia e as irregularidades da Operação Lava Jato, contando com a participação de Marco Aurélio de Carvalho, do Grupo Prerrogativas, e Gisele Cittadino, professora da PUC-Rio, jornalista Cynara Menezes, do blog Socialista Morena, e Renato Rovai, diretor da Revista Fórum.

O segundo bloco iniciou com a análise da conjuntura e das últimas pesquisas divulgadas por institutos de pesquisas com a participação do sociólogo Marcos Coimbra, presidente do Instituto Vox Populi, sendo encerrado pela economista Marilane Oliveira Teixeira, pesquisadora da Unicamp.

Para finalizar o 4º Mutirão Lula Livre No momento de fé contou com a participação do compositor Jean Goldenbaum, do Centro Europeu de Música Judaica da Universidade de Hannover e o Sheikh Hussein Khalillo.