Horta Popular Agroecológica Dandara é a primeira que está sendo implantada e será referência na Região Metropolitana do Recife

Na terça-feira (18), um mutirão, que reuniu muitas mãos solidárias em Nascedouro de Peixinhos, Olinda (PE), realizou uma ação de limpeza e capina da área onde será implantada a Horta Popular Agroecológica Dandara. A atividade contou com a participação de 15 pessoas entre mulheres, homens e jovens, sendo a maioria da própria comunidade.

Durante o manejo das atividades, também foi feito o plantio de sementes para produção de mudas de hortaliças como repolho, alface, rúcula, abóbora, quiabo e mostarda, que serão plantadas nos próximos mutirões que acontecem nos dias 28 de agosto e 01 de setembro.

O objetivo das Hortas Populares Agroecológicas é produzir alimentos livres de veneno e plantas medicinais para que famílias das comunidades possam reduzir os impactos, sobretudo de insegurança alimentar, gerados pela pandemia da COVID-19. A Horta Popular Agroecológica Dandara é a primeira que está sendo implantada e será a unidade de referência para outras hortas que serão implantadas na Região Metropolitana do Recife (RMR).

Esta é mais uma iniciativa da Campanha Mãos Solidárias e Periferia Viva Contra o Corona que, a partir da experiência da comunidade de Peixinhos, multiplicará a experiência para outras comunidades, fomentando a prática agroecológica de produção de alimentos, a segurança alimentar e outros debates de interesse social. O Centro Sabiá é um dos parceiros que está assessorando o processo de implantação e construção do formato de gestão dessas hortas. Além disso, viabilizou a aquisição de alguns equipamentos de trabalho e insumos como esterco, sementes e mudas.

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o Movimento dos Trabalhadores por Direitos (MTD), a Marcha Mundial das Mulheres (MMM), o Centro Tecnológico da Cultura Digital Nascedouro de Peixinhos, a Biblioteca Multicultural Nascedouro e o Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM) também fazem parte dessa parceria.

Por Centro Sabiá e Campanha Mãos Solidárias PE
Fonte: MST