A cineasta Naná Prudencio passou os últimos meses circulando pelas áreas periféricas de São Paulo para documentar os efeitos da pandemia do novo coronavírus na realidade das favelas. Dessa experiência, ela traz alguns retratos: o maior medo nas favelas hoje não é o coronavírus, apesar das regiões visitadas figurarem no topo do ranking dos bairros com mais mortes na capital. Os políticos, ela conta, estão aparecendo agora nas vielas. Mas quem ajudou as comunidades durante a quarentena foi quem sempre esteve por lá.

No dia 4 de agosto ela lançou “Pandemia do Sistema – O retrato da desigualdade na cidade mais rica do Brasil” , um documentário sobre a mobilização de moradores e moradoras para ajudar vizinhos e vizinhas durante o período de quarentena em regiões como Sapopemba, Heliópolis, Brasilândia, Capão Redondo, Cidade Ademar, Pedreira e o município de Taboão da Serra.

O filme poderá ser visto em breve na página do portal Alma Preta, no Facebook.

Leia AQUI entrevista completa com a cineasta, onde ela relata com detalhes a sua experiência com a solidariedade popular  nas periferias.

Na foto da capa, a cineasta Naná Prudêncio, da Zalika Produções.

Assista ao trailer do documentário: