A gravidade da pandemia no Brasil e a crise econômica, estão levando os movimentos sociais a se organizarem cada vez mais em busca de soluções para os problemas enfrentados pela população mais vulnerável, especialmente das periferias das grandes cidades. Com o objetivo de minimizar os efeitos do Coronavírus e sua propagação entre os mais pobres, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), está desenvolvendo o curso Agentes Populares de Saúde, que prepara pessoas das próprias comunidades para levar informação sobre cuidados básicos, tratamento e prevenção do Coronavírus.

A proposta de os Agentes serem moradores da região onde moram, contribui para entender melhor as demandas do território assistido. As pessoas se organizam na comunidade, fazendo trabalho na sua rua, de acordo com as necessidades que surgem na região.

O projeto teve início em Pernambuco, mas já está acontecendo em outros estados, como São Paulo, que teve recentemente sua primeira turma formada. A formação é de, no máximo, 15 Agentes de cada vez, para evitar aglomerações e garantir a segurança dos participantes.

Essa iniciativa do MST faz parte da campanha de solidariedade Vamos Precisar de Todo Mundo, que reúne diversos movimentos sociais, para arrecadar alimentos e insumos e distribuir para as populações mais atingidas pelos efeitos do isolamento social.

Somente o MST já doou 2,6 mil toneladas de alimentos agroecológicos para as periferias das cidades. Ao todo, a campanha arrecadou e distribuiu mais de 3 mil toneladas de alimentos, entre cestas básicas e produtos agroecológicos, em cem dias de seu lançamento.

Além da doação de produtos de necessidade básica e alimentos, as entidades também realizam cursos como esse dos Agentes Populares de Saúde, além de distribuição de cartilhas informativas e assistência jurídica e psicológica, visando preparar a população para o autocuidado, bem como, contribuir para a consciência política e social.

Fora Bolsonaro

O Brasil atinge a marca dos 97.418 mil mortos pelo Coronavírus, nesta quinta-feira, 6 de agosto, com um presidente despreparado e sem empatia pela realidade brasileira. E são os movimentos sociais, trabalhadores, estudantes que, organizados, estão auxiliando o povo mais pobre a seguir em frente diante das dificuldades impostas pelo vírus e por um governo de ultradireita que não se importa com o sofrimento da maioria da população.

Por esses motivos, nesta sexta-feira (7), os movimentos sociais e centrais sindicais estão organizando um grande ato nacional pelo #ForaBolsonaro, em defesa da vida e do emprego, com diversas ações para manifestar a indignação popular contra o governo genocida que assola o país tanto quanto a pandemia.

Nas ruas, em casa ou nas redes, todos estão convidados a fazer parte dos protestos. Basta colocar um pano preto na janela, no carro, no ônibus e usar a hashtag #ForaBolsonaro nas redes sociais, para fazer parte do grito por um Brasil melhor, mais justo e mais humano, para todos.

Assista ao tocante relato sobre a formação da primeira turma de Agentes Populares de Saúde em São Paulo: