Todas as quartas-feiras, integrantes do MST e de outros coletivos e movimentos produzem e distribuem 700 marmitas e garrafas com álcool em gel produzido pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) para pessoas em situação de rua do centro de Curitiba e agora também para a ocupação Nova Esperança, localização no Centro de Campo Magro, no Paraná.

A ação Marmitas da Terra atinge a marca de 9.500 marmitas doadas desde o início da pandemia e se se soma a milhares de iniciativas que acontecem Brasil afora para enfrentar a fome no período de isolamento social e de política genocida do governo Bolsonaro. A mensagem que vai junto com cada quentinha é também de esperança, união, pelo #ForaBolsonaro e “Por terra para quem nela trabalha, e por comida para quem tem fome”!

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas, mesa, comida e área interna

A iniciativa é resultado de trabalho coletivo, que envolve, além do MST, as campanhas Periferia Viva e 1 Milhão de 1 Real e outros coletivos da cidade.

Solidariedade e a luta pela Reforma Agrária Popular

O MST integra a campanha nacional de solidariedade Vamos Precisar de Todo Mundo e já distribuiu mais de 2,6 mil toneladas de alimentos agroecológicos, milhares de marmitas fresquinhas preparadas com todo zelo pelos assentamentos, acampamentos e cozinhas comunitárias, além de leite e outros produtos do campo, numa demonstração de que os pequenos agricultores, a agricultura familiar, campesina, tem potencial para alimentar todo o povo brasileiro, bastando para isso, o acesso à terra.

O Plano Nacional de Reforma Agrária Popular foi lançado em meio à pandemia, com propostas para diminuir o desemprego, aumentar a produção de alimentos e desinchar as cidades, a partir de políticas que fomentem a distribuição da terra e a valorização do trabalhador rural, possibilitando que mais pessoas gerem sua renda a partir da produção do campo.

Uma vitória de todos

O Senado aprovou, nesta quarta-feria (5), o Projeto de Lei 735/2020 que prevê apoio financeiro à agricultura familiar, duramente atingida pela suspensão de feiras e atividades escolares. A medida beneficia o setor responsável pela produção de 70% do alimento consumido no país e presente em 84% dos estabelecimentos rurais. O projeto já havia sido aprovado na Câmara e segue para sanção presidencial.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas comendo, pessoas sentadas, comida e área interna

QUER PARTICIPAR? Fortaleça a luta e contribua com a continuidade deste trabalho. Doações podem ser enviadas para Associação de Cooperação Agrícola e Reforma Agrária do Paraná (ACAP), que organiza as cooperativas do MST no estado:

CNPJ: 02.881.494/0001-96
>> Banco do Brasil
Agência: 4500-4
Conta corrente: 108973-0
>> Banco Itaú
Agência: 3834
Conta corrente: 25030-4

> CONTATOS
Adriana: +55 41 99917-0515
Marco: +55 43 9626-2270
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

📷 Daiane Prado / MST
#QuarentenaSemTerra #TodosPelaReformaAgrária #AlimentoSaudávelÉumDireito #ForaBolsonaro

Com informações de  Mídia Sem Terra