Para continuar fabricando as vassouras feitas de PET, elas estão arrecadando doações de insumos e equipamentos

Um grupo de cerca de 20 mulheres do bairro de Brasília Teimosa, na Zona Sul do Recife, está arrecadando dinheiro, equipamentos e materiais reciclados para produzir vassouras de garrafa PET. A iniciativa surgiu com o objetivo de começar uma atividade para geração de renda para mulheres que são chefes de família e estão desempregadas.

“A importância do projeto pra mim é poder empoderar cada uma delas, porque a maioria são donas de casa, idosas, marisqueiras e pescadoras que depois que o óleo atingiu o nosso litoral ficaram sem ter como trabalhar”, afirma Carolina Patrício dos Santos, educadora social da ONG Turma do Flau, moradora de Brasília Teimosa e coordenadora do grupo de mulheres, que reafirma a importância da ação “muitas delas nunca saíram do seu lar, nunca sequer participaram de reunião para discutir o que é ser mulher e feminismo, e quando eu vejo que o grupo está crescendo, eu me sinto realizada como alguém que ajuda a minha comunidade”.

O grupo realizou uma formação em uma fábrica no bairro de Peixinhos, em Olinda, e a partir de doações conseguiram comprar um maquinário para cortar as garrafas e produzir as cerdas da vassoura. “A gente ainda não fez nenhuma, porque estamos com a máquina no conserto e o nosso prédio vai entrar em reforma”, disse Carolina que apresentou as ideias do grupo para que possam refletir a força feminina nos cabos das vassouras “Ao invés de um cabo com desenhos de flores, a gente vai colocar frases de apoio e empoderamento da mulher”.

O grupo está parado desde março devido à pandemia e a retomada das atividades do grupo e início da produção de vassouras está prevista para acontecer de forma gradual a partir do mês de setembro. O grupo está aceitando doações para montar o seu espaço de trabalho com armário, mesa, garrafa térmica, forma de bolo, utensílios de cozinha, utensílios de limpeza, pratos e carrinho de bebê ou cercadinho.


O grupo está parado desde março devido à pandemia, mas início da produção de vassouras está prevista para acontecer de forma gradual a partir do mês de setembro / Marcha Mundial das Mulheres

As mulheres do grupo se reúnem há cerca de 3 anos no grupo Mães do Flau, que é formado pelas mães de crianças que participam das atividades extracurriculares da ONG Turma do Flau e passaram a discutir sobre a necessidade de um projeto para geração de renda a partir do vínculo com a Marcha Mundial das Mulheres (MMM). “A gente começou a reunir inicialmente essas mães do Flau e depois, como a gente se reúne e discute esse projeto de geração de renda, direito ao trabalho e emprego para essas mulheres que são mães de família, tem chegado outras, as vizinhas, as comadres, que não são necessariamente ligadas pela ONG e tem interesse em melhorar a sua vida e a de suas famílias”, afirmou Kathrein Santana, coordenadora do Grupo de Mulheres de Brasília Teimosa e integrante da Marcha Mundial de Mulheres.

“A gente entende que as mulheres são o pilar das famílias, tanto emocionalmente para os filhos, quanto financeiramente; elas fazem de tudo para trazer dinheiro para casa. Elas vendem produtos de revista, elas fazem unha, elas fazem uma série de coisas para manter e sustentar essas famílias” “É um direito, o direito ao trabalho, o direito à renda; então a gente precisa fazer isso de forma orgânica, mas também pleitear isso do Estado como política pública”, falou Kathrein.

Para quem quiser contribuir com o projeto doando objetos , a articulação é feita atrvés dos telefones (81) 99854.4357 (Kathrein) ou (81) 98809.0952 (Carolina).

Além disso, também é possível fazer doações em dinheiro através de transferência ou depósito bancário. O comprovante de depósito deve ser enviado para o telefone (81) 99276.8292 (Paula). Os dados bancários para depósito são:

Caixa Econômica Federal

Agência: 1294

Operação: 013

Conta Poupança: 00093895-0

Nome:  Rozeane Leal do Nascimento

 

Fonte: BdF Pernambuco