Iniciativa das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo reúne 315 pontos de coleta de doações por todo o Brasil

A campanha de solidariedade Vamos Precisar de Todo Mundo comemorou cem dias de seu lançamento no último dia 17, com a doação de mais de 3 mil toneladas de alimentos, entre produtos agroecológicos e cestas básicas. São 315 pontos de coleta e distribuição de doações em quase todos os estados do Brasil.

Além de alimentos também foram doados nesse período 520 botijões de gás, 233.990 marmitex, 166.550 máscaras, 22.730 unidades de álcool em gel, 18.724 kits de higiene e 100 luvas, além de centenas de outros produtos como carvão para fogão, sabão caseiro e água sanitária. Além de ações os cursos de formação de Agentes Populares de Saúde, que prepara pessoas das próprias comunidades para informar a auxiliar com medidas sanitárias a população dos bairros e a distribuição de material informativo, cartilhas e panfletos que ensinam a prevenção ao Coronavírus.

A campanha foi criada pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo para abrigar e dar visibilidade às diversas ações solidárias desenvolvidas pelos movimentos sociais durante a pandemia, que vem atingindo de forma muito mais agressiva às pessoas nas periferias das grandes cidades e no interior. Dentre os movimentos que integram a iniciativa, estão o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), o Movimento dos Trabalhadores/as Sem Teto (MTST), o Movimento dos Trabalhadores/as por Direito (MTD), as Brigadas Populares, o Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), a Marcha Mundial das Mulheres (MMM), a Central de Movimentos Populares (CMP) e muitos outros.

Solidariedade de Classe –  A solidariedade é uma atitude natural entre os trabalhadores, que precisam se unir para minimizar a ausência do poder público. Por isso, em meio às ações solidárias, com entrega de itens de necessidade básica pra a sobrevivência, os movimentos sociais também levam conhecimento e informação sobre o momento político que o país atravessa, com um governo de ultra-direita que não tem respeito pela população. Dentre os motes da campanha está, portanto, a recordação imediata de que, é o povo unido e voltado para a solução de seus problemass, que está fazendo a diferença entre a vida e a morte, especialmente durante a pandemia.

Fora Bolsonaro – Além da campanha de solidariedade,  as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo tem realizado várias ações pelo Fora Bolsonaro nas redes, com sucesso. É vitória dos movimentos sociais, por exemplo, o adiamento do Enem, a volta da política de cotas para negros, indígenas e pessoas com deficiência, que havia sido vetada pelo ex-ministro de Educação, Alan Weintraub. Também, a aprovação do Projeto de Lei 735, na Câmara dos Deputados, que concede auxílio para os trabalhadores do campo e da agricultura familiar.

   

Como parte intrínseca do trabalho dos movimentos sociais junto à população, a bandeira pelo Fora Bolsonaro é levantada como a única forma de provocar uma mudança na situação caótica que o Brasil enfrenta desde antes da crise do Coronavírus. A ausência de ministro da Saúde, no momento mais crítico do país, a resistência do governo em conceder o auxílio emergencial, proposto pelos partidos de oposição no valor inicial de R$ 1200,00, mas aprovado em apenas R$ 600 e atitudes descabidas de Bolsonaro como o incentivo ao uso da Cloroquina, que não tem nenhuma comprovação científica contra o vírus, são fatores que evidenciam o despreparo do mandatário que ocupa o Palácio do Planalto.

Plataforma emergencial para o enfrentamento da crise e da pandemia- Outra iniciativa de peso das Frentes é a Plataforma Emergencial com propostas para resolver os maiores problemas que o povo brasileiro vem enfrentando durante a pandemia. A Plataforma aponta saídas para a questão energética, habitacional, alimentar, além da campanha ‘Taxar fortunas para salvar vidas’, que propõe tributação sobre lucros e dividendos, diferente do que ocorre hoje no Brasil, onde o imposto é cobrado apenas sobre o consumo, afetando diretamente os mais pobres.  Somos o segundo país com maior concentração de renda do mundo, perdendo apenas para o Catar, um emirado absolutista e hereditário, cuja fonte de riqueza é a exploração do petróleo.

A luta continua – No dia 17 de julho, a campanha Vamos Precisar de Todo Mundo realizou sua primeira plenária nacional, com a presença de 200 lideranças dos movimentos sociais de todo o Brasil, além do sociólogo português Boaventura de Sousa Santos, que fez a análise de conjuntura. Dentre as deliberações do encontro, está a realização de plenárias estaduais, com o objetivo de aproximar o trabalho nacional com os territórios locais, nos estados. Ainda em fase de organização, as assembleias irão discutir os problemas da população regionalmente, visando buscar alternativas e soluções para o enfrentamento da crise.

Todo Mundo – Para fazer doações por meio de transferências bancárias, cadastrar uma iniciativa solidária ou solicitar ajuda, acesse o site todomundo.org e fique por dentro das ações de solidariedade que estão fazendo a diferença para milhares de pessoas. Junte-se a nós! Vamos precisar de todo mundo!