Pelo lançamento do Plano Emergencial da Reforma Agrária, movimento doa alimentos para população mais vulnerável

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) distribuiu mais de 18 toneladas de alimentos saudáveis em apenas um dia de mobilização. A ação ocorreu na sexta-feira (5), Dia Mundial do Meio Ambiente e que também foi marcado pelo lançamento nacional do Plano Emergencial da Reforma Agrária Popular, que agrupa propostas para democratização do acesso à terra, distribuição de riquezas e defesa dos direitos dos povos do campo e da floresta.

Para reforçar a importância do plano, os sem-terra realizaram ações solidárias em todo o país e distribuíram alimentos saudáveis produzidos pelos assentamentos e acampamentos da reforma agrária para a população mais vulnerável do país, que vem sofrendo os impactos das crises econômica, social e sanitária, agora agravadas em meio à condução do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) diante da pandemia do novo coronavírus.

Somente no estado do Paraná, comunidades sem-terra da região oeste do Paraná se uniram para doar mais de 10 toneladas de alimentos em Cascavel, na sexta-feira (5). Os alimentos foram distribuídos a centenas de famílias em situação de vulnerabilidade do bairro Interlagos, além do Hospital do Câncer de Cascavel (UOPECCAN) e o abrigo São Vicente de Paulo. De acordo com levantamento do movimento no estado, desde o início da pandemia da covid-19, famílias organizadas no MST no Paraná doaram cerca de 165 toneladas de alimentos.

Foi nesse contexto que o Assentamento 17 de abril, localizado no município de Restinga (SP), apoiou o projeto Pró Vida e entregou 1,2 tonelada de alimentos saudáveis à paróquia São Francisco de Assis, na cidade de Franca, também no interior paulista, beneficiando dezenas de famílias.


Doação de alimentos saudáveis produzidos pelos Assentamento 17 de abril no interior de São Paulo. / Filipe Augusto Peres/MST

Para Pedro Xapuri, da direção estadual do MST em São Paulo, as ações solidárias que o movimento tem tido grande impacto no interior do estado. “Nós ficamos muito contentes e o povo da cidade fica muito satisfeito em receber os nossos produtos. Essa produção é resultado de uma luta não apenas do camponês, mas também do povo da cidade. Por isso é importante, para nós, essa doação. Então, sempre que pudermos e tivermos condições, nós iremos doar mais alimentos. Esse é o nosso compromisso com a terra, o nosso compromisso com a sociedade, com as comunidades carentes nesse país afora”.

Ainda no interior do estado paulista, a população em situação de vulnerabilidade do município de Jardinópolis recebeu uma doação de 1,5 tonelada de alimentos das famílias trabalhadoras rurais dos Acampamentos Campo e Cidade Paulo Botelho e Vanderlei Caixe, dos Assentamentos Sepé Tiarajú e Mário Lago, e da Brigada Ana Primavesi. A ação solidária aconteceu no Núcleo de Integração Social Benedita Veloso da Silva, localizado no bairro Vila Reis.

::MST apresenta plano de Reforma Agrária Popular para superar crise social e econômica::

Rodrigo Abadia, liderança local do bairro Vila Reis, destacou a importância da ação solidária do MST. “Tem pessoas que não moram aqui, mas estão se preocupando com as comunidades mais carentes, pessoas que, nesse momento, não têm o que comer em casa. Essa solidariedade faz muita diferença. Estamos na resistência a esse governo que não olha para os pobres, que não olha para quem mais precisa. Eu queria agradecer em nome de todo mundo ao MST”, declarou.


Famílias da região do município de Jardinópolis (SP) recebem doação de alimentos produzidos pela reforma agrária / Filipe Augusto Peres/MST

Mauro Freitas, da direção regional da União dos Movimentos de Moradia (UMM) – entidade que representa as famílias que ocupam a área da antiga Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA), hoje administrada pela Secretaria do Patrimônio da União (SPU) –, salientou a cooperação entre os movimentos populares para ajudar quem precisa. “Alimento saudável, alimento sem agrotóxico que vai fazer bem para a saúde de todos”, disse sobre a doação do MST na área.

Presente na ação solidária, o prefeito do município de Jardinópolis, Paulo Brigliadori (PDT), destacou que ações solidárias como as realizadas pelo MST “valem mais do que discursos” e parabenizou a organização pela atividade.

:: “A Reforma Agrária é para produzir alimentos ao povo brasileiro”, afirma Stedile ::

Também na região sudeste, o município de Quatis, no Rio de Janeiro, recebeu doações de alimentos e mudas do assentamento “Irmã Dorothy” e os assentamentos da região sul fluminense.

Sul

Em Santa Catarina, cerca de 1.200 pessoas da cidade de Chapecó receberam a doação de 6 toneladas de alimentos, organizadas em mais de 300 cestas, produzidos por trabalhadores e trabalhadoras rurais sem-terra em assentamentos localizados nos municípios de Abelardo Luz, Chapecó e Passos Maia.


Em Santa Catarina, foram doadas 6 toneladas de alimentos saudáveis, produzidos pelos assentamentos do MST, para 1.200 famílias / MST

Os mantimentos também foram processados e industrializados por cooperativas da reforma agrária, a Cooperativa de Produção, Industrialização e Comercialização União do Oeste (Cooperoeste) e Cooperativa dos Assentados da Região do Contestado (CooperContestado).

A distribuição dos alimentos foi realizada em parceria com a Pastoral da Paróquia Santo Antônio, Grupo de Catadores da região da Efapi (Associação Esperança e Associação São Francisco), Sindicato das Empregadas Domésticas (Sintradom), Sindicato dos Trabalhadores das Carnes (Sitracarnes) e o Sindicato dos Empregados nas Empresas de Asseio (Tercerizados).

Centro Oeste

Em Goiás, a população da cidade de Pires do Rio recebeu a doação de hortaliças e verduras em um ato simbólico em frente à prefeitura. Os alimentos foram produzidos pelo Acampamento Gregório Bezerra, que existe há mais de oito anos na beira da estrada que liga o município a Caldas Novas.


O acampamento Gregório Bezerra fez uma ação solidária em frente a prefeitura de Pires do Rio, Goiás, e distribuiu hortaliças para a população. / MST

No mesmo estado, as famílias do Acampamento Leonir Orback, localizado no município de Santa Helena, fizeram doações de cerca de 350 quilos de verduras, folhas, banana, batata, mandioca, entre outros legumes, para população do município de Rio Verde.

BDF