Movimentos populares e centrais sindicais do Rio de Janeiro organizaram, no sábado (6), mais uma edição da “Marmita Solidária”. A ação distribuiu gratuitamente refeições para a população em situação de vulnerabilidade social. Foram preparadas 250 marmitas com alimentos agroecológicos plantados por produtores da agricultura familiar. A atividade aconteceu no Armazém do Campo RJ, que fica na avenida Mem de Sá, 135, na Lapa, região central da cidade. A ação seguiu todos os protocolos de saúde para evitar a disseminação do coronavírus.

As organizações que promovem a ação de solidariedade chamada de campanha #ForaBolsorano!, afirmam que a pandemia provocada pelo coronavírus acirrou as desigualdades sociais. “Para piorar, temos um governo que mata pela fome, pelo vírus e pela bala, ampliando a violência nas favelas e periferias através das ações policiais. Em contrapartida, a solidariedade aflora nas tantas ações realizadas pelo nosso próprio povo”, destacam, em nota conjunta.

A entrega de quentinhas para população em situação de rua e trabalhadores informais aconteceu pela segunda vez desde o início da crise sanitária. “A nossa ação é em prol da defesa da vida, da saúde. A crise econômica mexe diretamente com o bolso das famílias brasileiras. Isso está provocando fome de várias famílias que ficam sem condições financeiras para se alimentar. O auxílio emergencial é importante, mas não suficiente”, explica Allanis Pedrosa, integrante do Levante Popular da Juventude, uma das organizações que promovem a atividade.

Também constroem a iniciativa o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Articulação de Agroecológica do Rio de Janeiro (AARJ), Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES), União da Juventude Socialista (UJS), Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro, Sindicato dos trabalhadores do Comércio do Rio de Janeiro e a Frente Brasil Popular (FBP).

BDF