Foi liberado pelo ministro do STF,  Celso de Melo, nesta sexta (22), o vídeo da reunião ministerial, citada por Sérgio Moro, em inquérito que apura se o presidente da República, Jair Bolsonaro, fez chantagem, utilizando-se de seu cargo, para influenciar na direção da Polícia Federal.

Além da confirmação de que, sim, Bolsonaro afirmou que iria trocar o diretor da PF  e que, inclusive, trocaria o ministro caso não fosse atendido, a reunião é um escândalo: dos palavrões e xingamentos do presidente ao se referir a algumas autoridades brasileiras, às falas  dos ministros, que foram revelando, um a um, seus planos criminosos contra o povo brasileiro.

Moro, em silêncio, com cara de protesto. Podemos até conjecturar se ele não estaria já, naquele momento, calculando citar a gravação da reunião quando denunciasse Bolsonaro.

Paulo Guedes, o dono da Economia, o que sustenta Bolsonaro para poder seguir seus planos de entregar o país a preço de banana, colocou o Banco do Brasil à venda, com a anuência do atual presidente da instituição, Rubens Novaes. “Temos um liberal lá”, disse, em referência a Novaes.

Outro crime declarado saiu da boca do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que sugeriu aproveitar que toda a imprensa está voltada para o Coronavírus para mudar regras ambientais: “é passar boiada”, disse o ministro. 

A ministra da Família, Damares Alves, informou a partir das vozes de sua cabeça que a esquerda está tentando contaminar os índios em Roraima para prejudicar Bolsonaro. Como se não bastasse, anunciou que vai mandar prender governadores e prefeitos que declararem isolamento social. 

Já o senhor ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, acusado de vários crimes e que só não caiu por seu chefe gostar do tipo,  fez campanha pela liberação de jogos e cassinos no Brasil. Disse que é preciso ‘desmistificar’ esse negócio junto aos evangélicos e católicos.

Para o ministro das Relações Exteriores, o Brasil é um dos países que, depois da pandemia e com Bolsonaro, vai liderar a Nova Ordem Mundial, uma conspiração conhecida nos grupos sobre extraterrestres no Youtube.

Por fim, o homem que comanda a pasta da Educação no Brasil. Abrahão Weintraub, decretou a morte dos povos indígenas e a prisão dos ministros do STF. 

Tudo foi grave na reunião.  Se alguns consideravam que não havia argumentos suficientes para o impeachment de Bolsonaro, talvez a divulgação desse vídeo colabore para que a verdade salte aos olhos.

Da redação todomundo.org

Assista à reportagem da CUFA (Central Única das Favelas) para o Blog da Dilma

REUNIÃO MINISTERIAL: UM RESUMO. Meteoro. #MidiaLivre #BlogdaDilma

REUNIÃO MINISTERIAL: UM RESUMO. Meteoro. #MidiaLivre #BlogdaDilma

Publicado por BLOG DA DILMA em Sábado, 23 de maio de 2020