Depois de derrubar dois ministros da Saúde em menos de um mês, o presidente Jair Bolsonaro liberou na manhã desta quarta-feira (20), no SUS, o uso da cloroquina até mesmo para casos leves de coronavírus.

Sem nenhum embasamento científico, o presidente bateu pé na questão da cloroquina, que provocou atrito com Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, que deixaram o ministério da Saúde em plena pandemia.

A mudança no protocolo publicada no Diário Oficial da União era um desejo de Bolsonaro que, ontem à noite fez piada, no dia em que o Brasil passou da marca de mil mortos em um 24 horas: “Toma quem quiser, quem é de direita toma cloroquina, quem é de esquerda toma tubaína.”

Nocaute