A Central de Movimentos Populares (CMP), com atenção voltada para o avanço da covid-19 na região Amazônica, principalmente nas periferias das cidades e comunidades indígenas e quilombolas, intensificou nos últimos dias as ações de solidariedade em apoio às comunidades urbanas e rurais em cinco estados da região: Pará, Acre, Rondônia, Tocantins e Amazonas. Em alguns estados a CMP tem parceria com o Ministério Público estadual e a Cruz Vermelha.

A CMP, além de atuar nas cidades da região, tem relação e acompanha comunidades de pequenos agricultores, quilombolas, ribeirinhas e indígenas. O objetivos das ações é apoiar a arrecadação de alimentos e produtos de higiene e limpeza, bem como articular e fortalecer iniciativas, como a produção de máscaras. Segundo Paulo Conhen, da direção nacional da CMP e dirigente da CMP-PA, “as ações de solidariedade visam minimizar os impactos causados pela covid-19 na região Amazônica”.

Conhen, explica “que a ação solidária na região requer muita dedicação e organização, principalmente nas zonas rurais, onde as distâncias são os maiores obstáculos, e nas áreas urbanas, onde o vírus se espalha com rapidez, tendo em vista que a região é marcada pela pouca ou nenhuma infraestrutura urbana e sanitária, precárias condições de moradia, saneamento, saúde e assistência social”.

“Essas ações de solidariedade que estamos promovendo na região Amazônica fazem parte da Campanha Movimentos Contra a Covid-19, que a CMP está coordenando em todo país. Além da solidariedade, temos como tarefa denunciar o abandono das famílias empobrecidas da região”, afirma Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP.